Corpo do jornalista Marcelo Rezende é sepultado sob aplausos em São Paulo

O corpo do jornalista Marcelo Rezende foi sepultado sob aplausos de amigos e familiares no cemitério de Congonhas, zona sul de São Paulo, na tarde deste domingo (17). Cerca de 800 pessoas participaram da cerimônia tida como íntima. O apresentador da Record morreu neste sábado, aos 65 anos, após lutar durante quatro meses contra um câncer no pâncreas e no fígado. A informação foi noticiada no "Cidade Alerta", programa que ele apresentou durante seis anos.

Marcelo Rezende estava internado desde a última quarta, com um quadro de pneumonia, no hospital Moriah em São Paulo, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. O jornalista deixa cinco filhos, de cinco relacionamentos diferentes, e duas netas, além da namorada, Luciana Lacerda.

O corpo de Rezende foi velado durante toda a manhã e início de tarde na Assembleia Legislativa de São Paulo. O velório contou com a participação de familiares, amigos, personalidades da televisão, autoridades e fãs. 
 
Por volta das 15h30, o corpo foi levado em carro aberto para sepultamento no cemitério de Congonhas, na zona sul da capital paulista, em uma cerimônia íntima, apenas para familiares e amigos mais próximos. A pedido da própria família, a TV Record decidiu encerrar a transmissão ao vivo por volta das 15h20.
 
Luta contra o câncer

O jornalista morreu neste sábado (16), aos 65 anos, após lutar durante quatro meses contra um câncer no pâncreas e no fígado. A informação foi noticiada no "Cidade Alerta", programa que ele apresentou durante seis anos.
Geraldo Luís ao lado do amigo Marcelo Rezende. 
Reprodução Instagram marcelorezende.oficial
 
"Com profundo pesar, comunicamos o falecimento do jornalista e apresentador Marcelo Rezende, 65 anos, às 17h45, no dia 16 de setembro de 2017, no Hospital Moriah, em São Paulo", informou o hospital, em nota à imprensa.

Nas redes sociais, companheiros de trabalho e amigos, entre eles, Ticiane Pinheiro, Amaury Jr. e a cantora Simony, lamentaram a morte.

Trajetória 
 
Marcelo Rezende chegou à televisão somente em 1987, como repórter e editor do "Globo Esporte", na TV Globo. Dois anos depois, foi transferido para a cobertura policial e estreou com o assassinato do empresário José Carlos Nogueira Diniz Filho. Nos anos 90, Rezende destacou-se como repórter investigativo e conquistou notoriedade com o caso da Favela Naval, exibido no "Jornal Nacional" de 31 de março de 1997, em que policiais foram registrados por um cinegrafista amador torturando e atirando em pessoas em Diadema, na Grande São Paulo.

Tornou-se apresentador em maio de 1999, no relançamento do programa "Linha Direta", que reconstituía crimes não solucionados com a narração impactante do jornalista. Em 2002, deixou a Globo e foi contratado pela RedeTV!, onde apresentou o "Repórter Cidadão" e o "RedeTV! News". Também passou pela Band, com o programa "Tribunal na TV", em 2010. Na Record, comandou o "Cidade Alerta" em dois períodos: 2004 e entre 2012 e 2017.
Compartilhe com Google Plus

About Canindé Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário