Governo prolonga corte do abastecimento de água para fins econômicos no Vale do Açu, no RN

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, a maior do estado, tem nível de água preocupante (Foto: Anderson Barbosa/G1)(Foto: Anderson Barbosa/G1)
 
Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, a maior do estado, tem nível de água preocupante. A interrupção, que agora não tem prazo para terminar, afeta principalmente a carcinicultura e a irrigação na região. Objetivo é priorizar o consumo humano.
 
A captação de água para fins econômicos no Vale do Açu, principalmente para as atividades de carcinicultura e a irrigação, está terminantemente proibida. O anúncio foi feito neste domingo (17) pelo Instituto de Gestão de Águas do Rio Grande do Norte (Igarn). Objetivo é priorizar o consumo humano e animal.  

Dos 167 municípios potiguares, 153 estão em situação de emergência decretada por causa da falta de chuvas. Este é o sexto ano consecutivo de escassez no estado, considerado o pior período de estiagem já registrado na história.
 
Na semana passada, durante uma discussão que reuniu representantes do Comitê Hidrográfico das Bacias Piancó-Piranhas-Açu, da Agência Nacional de Águas (ANA), Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e prefeitos da região, ficou acertado que a interrupção seria feita por três dias. Contudo, após uma nova avaliação da situação, se decidiu que o melhor é suspender o fornecimento permanentemente, a não ser que a água seja para o uso humano ou para dar de beber aos animais. 

O motivo da interrupção é a situação crítica em que se encontra a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do água do estado. Hoje, com aproximadamente 15% de sua capacidade, a barragem não está conseguindo dar conta do abastecimento de alguns municípios por causa da escassez de chuva e do baixo nível do reservatório. 

A Barragem Armando Ribeiro Gonçalves abastece 34 cidades. Se não chover logo, ela pode entrar no volume morto até o final do ano e comprometer ainda mais a distribuição de água. O nível atual é o mais baixo desde que a barragem foi inaugurada, em 1983, segundo o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). A última vez que a barragem sangrou – ou seja, teve mais água que sua capacidade máxima e houve escoamento – foi em 2011.

Segundo a Caern, desde a semana passada que Macau, Guamaré e Pendências, por exemplo, estão sem água. Se o problema não for resolvido, mais três municípios podem ficar na mesma situação: Alto do Rodrigues, Almino Afonso e Carnaubais.
Compartilhe com Google Plus

About Canindé Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário