WEB - MIX SV

EM DESTAQUE - CDS QUE NÃO PODE FALTAR EM SEU PEN DRIVE

Associação transforma pão em cerveja para acabar com desperdício

Resultado de imagem para imagem Associação transforma pão em cerveja para acabar com desperdício
Cerveja: no Reino Unido, 9,75 toneladas de pão já foram usadas para produzir mais de 300 mil garrafas de cerveja. Cerveja, batizada de "Toast ale", leva pão no lugar de parte do malte utilizado para a produção.
 
Por: AFP - Toneladas de pão acabam no lixo todos os anos. Uma associação britânica encontrou uma solução original para esses resíduos: transformá-los em cerveja. Grandes quantidades de pedaços de pão são despejadas em uma cuba de aço inoxidável da cervejaria Wold Top, localizada perto de Driffield, no condado de Yorkshire (norte da Inglaterra). Trata-se das aparas de pão fresco que uma fábrica descarta. “Substituímos parte do malte por pão”, explica Alex Balchin, que dirige a cervejaria que, desde 2016, faz esta bebida dourada através do método em nome da Feedback, uma associação que luta contra o desperdício de comida.
Toast ale, a cerveja feita de pão
Esta cerveja chamada “Toast ale” nasceu graças a Tristram Stuart, o fundador da Feedback. Ele se inspirou nos cervejeiros belgas do “Brussels Beer Project”, que lançou a cerveja Babylone. “Eles me explicaram que os antigos babilônios inventaram a cerveja para aproveitar pães e grãos que, de outra forma, seriam perdidos. Era o objetivo inicial da cerveja” há milhares de anos, afirma o britânico de 40 anos. “Hoje, quantidades industriais de pão são jogadas fora em todo o mundo, e as associações de ajuda alimentar não podem distribuir todo o pão que lhes são oferecidos. Ao mesmo tempo, há esta febre em todo o mundo por cervejas artesanais”, constata Stuart.

“Eu queria criar uma empresa que associasse fornecedores e cervejeiros locais, bem como instituições de caridade, para fazer a ‘Toast ale’, uma empresa internacional que transforma o pão perfeitamente apropriado para consumo em uma cerveja ainda melhor”, acrescenta.Toda a renda vai para Feedback e a sobra da elaboração da cerveja serve para alimentar o gado. A primeira cerveja “Toast” foi fabricada no programa de televisão do chef britânico Jamie Oliver, que a descreveu em termos muito elogiosos quando a provou. Atualmente são produzidas cervejas de quatro tipos (duas lagers, uma pale ale e uma indian pale ale). A cerveja recebeu vários prêmios e foram alcançados acordos com outras cervejarias que fazem suas próprias versões a partir deste método, como Wiper and True, da cidade de Bristol, que criou a Bread Pudding, cujo gosto recorda o famoso doce britânico.

Os cervejeiros da Wold Top “começaram com pão de forma, branco ou integral”, explica Alex Balchin. “Agora experimentamos outras coisas, como brioches”.

Receita online

No Reino Unido, 9,75 toneladas de pão já foram usadas para produzir mais de 300 mil garrafas de cerveja, vendidas entre 2,5 e 3 libras a unidade (entre 2,80 e 3,40 euros), um preço normal para cervejas artesanais. É um pequeno passo, mas ainda há muito a ser feito para reduzir o problema dos resíduos: cerca de metade (44%) do pão produzido no Reino Unido acaba anualmente no lixo.

“Quando vemos o que acontece no mundo, é realmente deprimente”, diz Tristram Stuart. Mas a solução para o problema “é deliciosa”, comemora. 

A popularidade do “Toast ale” está se espalhando rapidamente e já se produz em Nova York, Rio de Janeiro e Cidade do Cabo. A receita foi publicada na internet para que todos possam começar a preparar cerveja com pão e contribuir de maneira direta para reduzir o problema.  

O próximo passo? Estender a todos o modelo de cooperação entre padeiros e cervejeiros e, acima de tudo, que o Feedback deixe de existir: “o dia em que o pão não for jogado fora, a cerveja tostada não terá motivos para existir”, afirma Tristram Stuart.
Compartilhe com Google Plus

About Canindé Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário