WEB - MIX SV

EM DESTAQUE

Bêbado chama Uber, acorda em outro estado e paga R$ 5 mil

Terra - O uso de carros de aplicativos para voltar para casa após uma noite de bebedeira é uma alternativa bastante comum e simples, mas que também exige seus cuidados, como percebeu a duras penas o americano Kenny Bachman. A desatenção durante a embriaguez rendeu a ele uma conta de mais de R$ 5 mil, depois de solicitar um Uber e, ao acordar, perceber estar em uma viagem interestadual, de mais de 400 quilômetros de distância.

O jovem estava em uma festa de estudantes da Universidade da Virgínia Ocidental, na cidade de Morgantown. Após beber a noite inteira, ele chamou um Uber que o levaria até o hotel em que estava hospedado, a poucos quilômetros dali. Bachman relata que sua última lembrança é de estar em um bar e, na sequência, acordar no banco traseiro de uma van a serviço do aplicativo, sendo informado pelo motorista sobre a chegada ao destino, a cidade de Nova Jérsei, em menos de uma hora.
 
Foi, basicamente, uma sequência de enganos. Em vez de chamar um carro da categoria X, que existe inclusive no Brasil e tem tarifas mais baratas, o jovem solicitou um UberXL, serviço com vans grandes e confortáveis, para grandes grupos. Além disso, pode ter selecionado o destino errado. Bachman disse não ter ficado nervoso ao acordar, mas perguntou ao motorista porque não havia sido questionado sobre o destino. Isso se deve, possivelmente, ao costume de realizar viagens desse tipo, uma vez que a categoria é voltada, justamente, para fins como estes. Além disso, é claro, a embriaguez deve ser um fator a ser levado em conta.

No final das contas, a viagem, que pelo UberX seria de aproximadamente US$ 820, acabou custando US$ 1.635, aproximadamente R$ 5.300. Ele não teve opção a não ser pagar a corrida, fazendo isso em dinheiro após uma visita a um caixa eletrônico, de forma que o motorista pudesse realizar a viagem de volta, pagando pedágios no caminho até Morgantown. O jovem admitiu o erro e chegou a dar uma avaliação de cinco estrelas para o motorista. Entretanto, abriu uma disputa junto à Uber por conta dos valores cobrados. Ele alega não ter inserido o endereço de sua casa, pois sabia estar em outra cidade. Em resposta, a empresa afirmou que destinos de corridas não são fixados de forma automática e que Bachman precisaria ter feito essa seleção durante a solicitação da corrida. Ele não foi reembolsado.

Os envolvidos não entraram em detalhes sobre a questão, mas dá para entender mais ou menos como ela aconteceu. O jovem pode ter o endereço de sua casa registrado como preferencial no aplicativo, e mesmo que não, a Uber ainda assim mantém destinos frequentemente usados como sugestões na hora de pedir uma corrida. Bastou um clique errado para que o engano acontecesse, levando Bachman em uma viagem interestadual bastante cara.
Compartilhe com Google Plus

About Canindé Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário